Sobre

O Grupo Dramático e Recreativo da Retorta, Instituição de Utilidade Pública, foi fundado em 1942 por um punhado de amantes do teatro.

Ao longo dos mais de 70 anos de existência tem desenvolvido uma significativa atividade teatral dentro e fora do concelho de Valongo.

Na década de 90, o grupo alargou o seu objecto juntando à secção de Teatro as secções de Dança, Atletismo, Futsal e Ginástica. Paralelamente, através da sua secção Passeio Alegre, desenvolve um vasto n.º de atividades recreativas ao longo do ano.

No ano de 2009 o grupo conseguiu terminar a construção da 1.ª fase da Oficina d’Artes da Retorta, que engloba um pavilhão e uma sala multiusos, consolidando ainda mais a sua intensa atividade. Prova disso são os mais de 1200 sócios pagantes.

Atualmente, a Retorta tem em construção a segunda fase do seu projeto, que engloba uma sala de espetáculos a sede social.

RETORTA, décadas de amor ao teatro…

O teatro foi, é e será sempre o grande motor deste grupo.

Apesar de a fundação datar do dia 19 de Março de 1942, o Grupo Dramático e Recreativo da Retorta apareceu muitos anos antes, existindo documentos e registos que provam essa longevidade nomeadamente os ensaios realizados na adega de uma mercearia existente no mesmo lugar. O grupo era constituído por um punhado de homens e mulheres amantes do teatro não havendo descriminação social. Dele faziam parte os mais cultos mas também os que não saberiam ler nem escrever.

As estreias aconteciam normalmente no dia de Natal ou de Ano Novo no salão Paroquial de Campo. Já nessa época a Retorta tinha a preocupação de inovar nos seus trabalhos e como tal recorria a encenadores “de fora”. Eram pessoas com mais experiência e que traziam mais rigor aos trabalhos. Curioso nessa altura, era o facto de os grupos produzirem peças quase como exclusivas, ou seja, quando Retorta “tirava” uma peça essa peça passava a ser como sua, e por norma os grupos vizinhos respeitavam. Um exemplo disso, e que marcou bastante o grupo, foi a peça “Zé do Telhado” que proporcionou à Retorta o maior número de exibições fora e dentro do Concelho de Valongo.

Apesar de todo o orgulho que tínhamos com o nosso passado, a Retorta Teatro quis dar o salto, evoluir naquilo que fazia. Essa transformação, que contou com a ajuda do Entretanto Teatro, aconteceu nos anos 90. Pela primeira vez na nossa história atores e técnicos começaram a receber formação. O impacto foi enorme e os resultados começaram a aparecer. Acabamos com o “ponto” e a luz e o som passaram a fazer parte do espetáculo, não como complemento mas como parte integrante.

Fruto dessa transformação, a entrada no século XXI permitiu à Retorta a concretização de outros objetivos nomeadamente a criação do FESTAR – Festival de Teatro Amador da Retorta que possibilita a dinamização e a criação de públicos e a Escola de Formação de Teatro que ministrada por formadores credenciados possibilita a necessária regeneração do grupo. Paralelamente a toda a sua atividade local, a Retorta Teatro participa em diversos certames de teatro amador onde tem a oportunidade de apresentar os seus trabalhos.

Em Cena

uma história que não lembra ao diabo

Palco de Babel

mulheres

Fora de Cena

Óculos de Sol

A História é uma História

Escola de Teatro

Retorta Futsal

Com a construção do Pavilhão Multiusos da Retorta, e com o objetivo de desenvolver competências para jogar futsal, neste momento o departamento de formação é composto por cinco escalões de formação, e juntamente com a Academia de futsal proporcionam a atletas de todas as idades e géneros, a oportunidade de aprender e evoluir.

Academia

Retorta Dança

Pés de Chumbo

A secção Pés de chumbo, do Grupo Dramático e Recreativo da Retorta, nasceu e cresceu no seio da nossa comunidade, em 1994, aquando dos arraiais de São João, no tão conhecido “largo do Armando”, no contexto dos ensaios para as marchas de São João, do concelho de Valongo, nas quais a Retorta participou.

O primeiro espectáculo foi realizado por um grupo de crianças, simpatizantes da associação, que aspiravam, um dia virem a ser os marchantes do grupo da Retorta.

Mais tarde, surgiram os Pés de Chumbo, fruto da imaginação e trabalho de alguns desses jovens em conjunto com outros membros da associação. Este grupo foi participando em vários espectáculos de dança, e festivais, marcando-os sempre pela diferença e, deste modo afirmando-se dentro da associação, da freguesia e do concelho,

Com alegria, dedicação e muito trabalho, os Pés de Chumbo realizaram o seu primeiro grande espectáculo musical, denominado “Moulin Rouge”. Este trouxe de uma forma soberba a vontade de abrir novos horizontes por todo o país. Mas este foi a apenas o primeiro de grandes êxitos. Os Pés de Chumbo continuaram o seu trabalho, apresentando espectáculos como o “Dançando vemos Portugal”, “ Dancing in the Movies”, “Rota das caravelas”; “ The Old Times”, “O Mundo nos Nossos Pés” e“ Fans of Glee”.

Para além dos espectáculos realizados, o grupo teve a oportunidade de dançar em palcos de referência, como por exemplo a Casa da Música, o Europarque e o Cine-teatro de Estarreja; na companhia da Banda Fórum.

 Todos estes grandes musicais foram coreografados e interpretados pelos bailarinos dos Pés de Chumbo, e contemplam um vasto leque de géneros musicais, cor alegria e boa disposição, tão típico deste grupo.

Os Pés de Chumbo ao longo destes 20 anos, vêm abrilhantando a Terra da Lousa, e, lembrando-nos que não somos melhores, nem piores, mas diferentes.

Pézinhos de Chumbo

Os Pézinhos de Chumbo, nasceram na primeira festa de Verão da Retorta, realizada em 2003, no local onde, neste momento, existe o pavilhão da retorta. Nesse verão, o grupo de crianças dançava todas as noites com alegria e vontade de um dia pertencer aos Pés de Chumbo, que eram os seus professores, e que realizaram nessa época um espectáculo intitulado “Dançando Vemos Portugal”.

Mais tarde, com a construção do Pavilhão, a Retorta formalizou a entrada dos Pézinhos de Chumbo na família e, desde então, este grupo pertencente à secção de Dança da Retorta, tem vindo a desenvolver vários espectáculos. Neste momento, engloba crianças e adolescentes até aos 14 anos que, após completar a formação, têm a oportunidade de constituir o grupo dos Pés de chumbo.

Eventos

18 Julho, 2018
  • Semana das Colectividades Campo

    Campo, 4440 Campo, Portugal

19 Julho, 2018
  • Semana das Colectividades Campo

    Campo, 4440 Campo, Portugal

20 Julho, 2018
  • Semana das Colectividades Campo

    Campo, 4440 Campo, Portugal

21 Julho, 2018
  • Semana das Colectividades Campo

    Campo, 4440 Campo, Portugal

8 Setembro, 2018
  • 24h Portugal

    Parque Urbano Vale Cambra

9 Setembro, 2018
  • 24h Portugal

    Parque Urbano Vale Cambra

22 Setembro, 2018
  • Uma história que não lembra ao diabo

    Oliveira de Azeméis, 3720 Oliveira de Azeméis, Portugal

  • Festa na escola

Contacte-nos

Rua 1º de Maio, 351
4440-013 Campo – VLG